AZAGAIA, O RAPPER MAIS INFLUENTE DE MOÇAMBIQUE

Considerado um dos rappers mais influentes de Moçambique, Mano Azagaia, como é carinhosamente chamado, tem um discurso preciso, feroz, a ponto de seu trabalho ser definido como música de intervenção social.

Nascido em Namaacha, próximo à fronteira com a Suazilândia, o jovem Edson da Luz se mudou para Maputo, onde estudou, jogou basquete e finalmente se encontrou na música. Aos 13 anos já fazia parte do grupo Dinastia Bantu, com o qual chegou a lançar um disco. Mas foi em sua carreira solo, adotando o nome de Azagaia (uma espécie de lança usada nas caçadas) que ele se tornou conhecido.

O primeiro álbum, Babalaze, foi lançado em 2007, com participações de artistas locais. O disco atingiu recordes de vendas, mas teve várias de suas músicas censuradas pela forte crítica ao governo local.

Pouco tempo depois, em fevereiro de 2008, a capital Moçambicana, Maputo, foi o cenário de uma grande revolta popular causada pelo descontentamento da população frente aos ajustes econômicos impostos pelo governo e o brutal aumento no custo de vida. Nessa época Azagaia lançou a música “O Povo No Poder”, que fez com que ele fosse intimado a comparecer à Procuradoria Geral da República após ser acusado por atentar contra a segurança do Estado. Apenas dois anos depois, Maputo enfrentou uma situação parecida e a música de Azagaia foi lembrada e entoada pelos manifestantes.

Em 2009, inspirado pela crise humanitária no Zimbábue, o rapper lançou a música “Combatentes da Fortuna”, que apesar de censurada,  teve um clipe que se tornou o mais visto da história do rap moçambicano. Um ano depois, lança mais uma música polêmica, “Arriii”, falando sobre um escândalo de tráfico de drogas em Moçambique, sonegação de impostos e assassinatos.

Em 2011 o rapper foi preso junto com seu produtor, após ser abordado por policiais por portar um cigarro com 4 gramas de soruma, nome dado à cannabis naquele país, e se recusar a dar propina para ser liberado.

O segundo álbum, Cubaliwa (nascimento, em língua sena), foi lançado no final de 2013 com músicas como “Homem Bomba” e “ABC do Preconceito”. Durante uma entrevista ao vivo no programa de TV Atracções, em que deveria falar sobre o álbum, Azagaia acendeu um baseado com o objetivo de fomentar a discussão sobre a legalização da maconha e também como um protesto contra a moralidade hipócrita que impedia essa discussão. O programa foi retirado do ar e o apresentador demitido algum tempo depois.

O rapper se desculpou, dizendo que havia cometido um erro e que deveria ter pensado nas crianças que assistiam o programa. E justificou o uso por uma questão medicinal, para controlar sua epilepsia, mas que não deveria ter promovido o consumo em público.

Apenas alguns meses depois, ainda em meio à polêmica, Azagaia anunciou que por temor à sua vida estava abandonando a carreira. O motivo foi divulgado poucos dias depois desse anúncio. O rapper revelou que tinha um tumor cerebral, e que seria impossível tratar disso em seu país. Uma campanha, “Help Azagaia”, foi criada para arrecadar cerca de 25 mil dólares, que permitiram que ele fosse à Índia onde foi operado e tratado com sucesso.

Após um tempo fora dos palcos, em 2016 ele se apresentou em uma discoteca local e agora, em 2021, lançou uma música inédita,”Ai de Nós”, que já é considerada um hino por falar sobre o conflito na região de Cabo Delgado, noroeste de Moçambique, que desde 2017 já vitimou mais de 2 mil pessoas. Embora a ideia de que esse conflito seja causado por diferenças religiosas seja difundida, alguns ativistas, jornalistas e historiadores insistem que a causa é na verdade um problema econômico, de falta de emprego e de oportunidades, de exclusão social.

Essa música talvez marque o retorno definitivo de Mano Azagaia. Em uma entrevista à TV Moçambicana ele revelou que realmente pensou em encerrar a carreira. Mas Azagaia ainda tem muito sobre o que falar, e sua voz é importante. Ao ser perguntado sobre seu maior desejo, respondeu rapidamente: “Que todos tenham o que comer. Meu sonho é ver as pessoas comendo bem”. E para a alegria dos fãs, recentemente ele postou um vídeo no YouTube em que responde perguntas de fãs enviadas pelo whatsapp. Ao ser perguntado sobre um disco novo ele disse que já está trabalhando nisso. Estamos esperando com a certeza de que se for na linha do clipe mais recente, o disco realmente será bom. Principalmente porque em tempos tão conturbados, é sempre bom ouvir uma voz que nunca teve medo das polêmicas, trazendo críticas contundentes sobre a situação política e social do seu pais, sem perder o olhar sobre  o contexto internacional, e falando de realidades que nem sempre são conhecidas.