CONHEÇA O NÚCLEO DE DRAMATURGIA FEMINISTA

Jornalista e atriz, Maria Giulia Pinheiro também é autora de quatro livros, dramaturga e diretora e em 2020 representou Portugal na Copa do Mundo de Poetry Slam, da França, ficando em quarto lugar. É fundadora do grupo teatral Companhia e Fúria, criadora e organizadora do sarau ZONA Lê Mulheres, e do Todo Mundo Slam, um poetry slam decolonial. Em 2012, lançou o manifesto Por um Imaginário, em que explora a necessidade da criação de um poder feminino nas artes. Com um currículo difícil de ser resumido, Maria também é a criadora do Núcleo de Dramaturgia Feminista, descrito como um local onde divide seus estudos estéticos e éticos com questões sobre escrita, performance, dramaturgia e criação, a partir de uma perspectiva decolonial, feminista, antirracista e anticapitalista.

“Vingança de artista é criar”. Pensando nisso, elaborei o Núcleo de Dramaturgia Feminista que acontece online e junta pessoas do Brasil inteiro, além de Moçambique, Angola, Portugal e Chile. No Núcleo, estudamos mulheres artistas de diversas áreas e mergulhamos na tradição de mulheres nas artes para fazer exercícios de escrita que acabam reverberando também em vídeos, imagens, performances e muitos outros resultados. Afinal, quem decidiu o que é “poesia”, o que é “dramaturgia”, e o que é “performance”? É preciso navegar entre os conhecimentos e sair do passeio com o que faça sentido para nós mesmas e mesmos”, conta Maria Giulia.

Desde o ano passado, o Núcleo passou a ser online, e hoje conta com cerca de 100 participantes. Entre os projetos criados a partir dessa iniciativa está o lançamento do livro Mentiras e Outros Pequenos Furtos: um Inventario Da Verdade, (Ed. Urutau), com as participantes de 2020, e um podcast chamado Corte Perfeito Para, que pode ser acessado pelo Spotify, YouTube e Anchor.

Para quem se interessou em participar dessa iniciativa, a boa notícia é que em agosto serão abertas duas novas turmas, e as inscrições já estão abertas podendo ser acessadas através desse link, onde você também irá encontrar mais informações sobre o conteúdo e o cronograma das atividades.

O grupo é aberto a mulheres e homens, como explica Giulia: “Todas e todos são bem-vindas e bem-vindos. Afinal, temos muito a nos vingar neste momento. E a nossa felicidade e união são as maiores vinganças para um mundo que nos quer sozinhas/sozinhos e acuadas/acuados.”

______________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

O Núcleo de Dramaturgia Feminista foi indicação da escritora e jornalista Maria Giulia Pinheiro, que participou do Debate: Slam de poesia – Falas da margem, parte da programação da primeira edição do Festival FIXE.

 

Foto de capa: Mylena Sousa.

Foto matéria: Maria Giulia Pinheiro, da série Autorretratos.