CONHEÇA O POETA CABO-VERDIANO ARMÉNIO VIEIRA

Considerado um dos principais autores da literatura cabo-verdiana, Arménio Vieira, que também foi jornalista e professor, começou a escrever ainda jovem, mas foi apenas em 1981 que publicou seu primeiro livro, “Poemas”.

Elemento ativo da geração dos anos 60, e colaborador de vários periódicos locais, é conhecido por suas opiniões fortes e insubmissas a poderes políticos, chegando a ser preso pelo regime salazarista. Com uma obra bastante consistente, Arménio é membro da Academia Cabo-verdiana de Letras e em 2009 se tornou o primeiro representante do país a vencer o Prémio Camões, uma das maiores honrarias da Literatura da língua Portuguesa.

Em 2021, ano em que completa 80 anos de idade, o autor lançou um novo livro de poemas, Safras de um triste outono, que ganhou uma edição nacional, fruto de uma parceria entre a Casa Brasileira de Livros (Brasil) e a Rosa de Porcelana Editora (Cabo Verde). Em mais de 400 páginas, Arménio trata de temas intimistas e existencialistas, exercita sua visão crítica e reflete sobre a finitude, a criação poética, mas também traz uma boa dose de seu humor afiado, expressão clara de sua inteligência e sagacidade que tornam esse livro tão atraente.
Em uma entrevista sobre o lançamento de Safras de um triste outono, outro poeta cabo-verdiano, Filinto Elísio afirmou que mesmo aos 80 anos, Arménio Vieira parece o poeta mais jovem de seu país por superar muitos autores com menos idade que não chegam perto da subversão estético-poética encontrada em seu trabalho. Uma curiosidade sobre esse extenso livro é que muitos dos poemas e textos foram escritos diretamente no celular.

Para quem quiser conhecer um pouco melhor a história e o estilo de Arménio Oliveira, vale a leitura do excelente texto Ensaio Sobre um Hipotético Romance Autobiográfico, que pode ser acessado gratuitamente neste link.