UMA PLAYLIST PRA CONHECER O HIP HOP TUGA

Não se sabe exatamente como o Hip Hop chegou a Portugal. Há quem afirme que foi por meio dos soldados americanos baseados na Ilha Terceira nos anos 80. Mas o gênero começou realmente a ganhar força através do programa Mercado Negro e posteriormente do álbum Rapública, primeira coletânea de rappers daquele país, lançada em 1994 e considerada um marco do estilo, lançada em uma época em que o Hip Hop era feito unicamente por amor e militância, já que em Portugal os artistas dificilmente eram notados pela mídia local.
Outro fator importante na chegada do Hip Hop a Portugal eram as fitas cassetes com gravações de programas de rádio americanos trazidas pelos imigrantes e que circularam bastante, servindo de referência e inspiração aos artistas locais, muitos dos quais continuam até hoje na ativa como Da Weasel, Boss AC e Ithaka.

Após um longo tempo praticamente restrito ao underground, o hip hop ganhou mais espaço a partir do início dos anos 2000, quando começaram a despontar os primeiros selos, editoras e produtoras especializadas, como a Lisafonia, Loop Recordings, o coletivo Kombate e o selo Matarroa. Algum tempo depois, artistas como Sam The Kid ou Boss AC já eram vistos nos line-ups dos grandes festivais de verão. Mas foi apenas na década passada, com o surgimento de uma nova geração, que as grandes gravadoras passaram a ter uma atenção maior à importância e relevância Do Hip Hop Tuga.
Alguns artistas, principalmente os mais novos, chegam a afirmar que o passado foi um período de aprendizado, de construção de uma identidade, que só teria sido conquistada nos últimos anos. Polêmicas à parte, o rap português tem consistência, tem história e merece respeito. Para que você conheça melhor toda essa trajetória, que aqui foi contada de maneira extremamente resumida, e conheça a diversidade dessa cena, preparamos uma playlist com artistas novos e alguns dos pioneiros do hip hop tuga.